SIGAM-ME OS BONS

A QUEM POSSA INTERESSAR

A maior parte dos textos aqui citados (por razões óbvias) não tem a autorização prévia dos seus legítimos proprietários. Entretanto, o uso neste blogue deve-se apenas a razões estritamente culturais e de divulgação, sem nenhum objetivo comercial, de usurpação de autoria e muito menos de plágio. A administradora do ARMADILHAS DO TEMPO pretende apenas expressar a sua admiração pessoal pelas obras e pelos autores citados, julgando assim contribuir para a divulgação da arte, da literatura e da poesia em particular. A ADMINISTRAÇÃO DO ARMADILHAS DO TEMPO respeitará inteiramente a vontade de qualquer autor que legitimamente manifeste a vontade de retirar qualquer texto aqui postado.

terça-feira, 29 de março de 2011

HISTÓRIA DE UM AMOR




Já não estás mais ao meu lado coração
E minh'álma está cansada de chorar
Sei que já não posso ver-te
Por que Deus me fez querer-te
Me fazendo sofrer mais

Sempre fostes a razão do meu viver
Adorar-te foi a minha religião
Em teus beijos encontrei
O calor que era um brinde
Ao amor e a paixão

Essa é a história de um amor
Que aumentou o meu sofrer
E me fez compreender
Todo o mal de querer
Tu me deste luz e vida
Destruindo-me depois,

oh que vida amargurada
Vivo só sem teu calor...

Sempre foste a razão do meu viver
Adorar-te foi a minha religião
Em teus beijos encontrei
O calor que era um brinde
Ao amor e a paixão...

Um comentário: