SIGAM-ME OS BONS

A QUEM POSSA INTERESSAR

A maior parte dos textos aqui citados (por razões óbvias) não tem a autorização prévia dos seus legítimos proprietários. Entretanto, o uso neste blogue deve-se apenas a razões estritamente culturais e de divulgação, sem nenhum objetivo comercial, de usurpação de autoria e muito menos de plágio. A administradora do ARMADILHAS DO TEMPO pretende apenas expressar a sua admiração pessoal pelas obras e pelos autores citados, julgando assim contribuir para a divulgação da arte, da literatura e da poesia em particular. A ADMINISTRAÇÃO DO ARMADILHAS DO TEMPO respeitará inteiramente a vontade de qualquer autor que legitimamente manifeste a vontade de retirar qualquer texto aqui postado.

sábado, 31 de dezembro de 2011

NEM VEM...


"Porque é que vens 
Bater ao meu peito
Ao fim deste tempo
Sem saber nada de ti" 


"Porque é que vens
Pedir-me um sorriso
Quando ainda vivo
Entre a magoa e o amor" 


"Porque é que vens
Matar-me de novo
Quando a pouco e pouco
Eu consegui renascer"



Há dias em que queremos que um nome apareça na nossa vida e dê sinais de existência.
Espera-se como quem se senta dominado pelo cansaço.
E depois as forças voltam, parte-se e esquece-se, há conversas que se percebem melhor mudas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário